Zé Rodrix, nascido na cidade de Rio de Janeiro em 25 de novembro de 1947. Foi um compositor, multiinstrumentista, cantor, publicitário e escritor maçônico brasileiro. Feliz daquele que desfrutou sua arte e mais ainda aqueles  que tiveram a enorme felicidade de conviver com ele neste mundo terreno.

Quando jovem estudou no Conservatório Brasileiro de Música,  desenvolvendo a característica da multi-instrumentalidade: tocava piano, violão, acordeão, flauta, bateria, saxofone e trompete. Tornou-se conhecido em 1967, ao vencer o III festival da TV Record daquele ano, acompanhando Marilia Medalha, Edu Lobo e o Quarteto Novo  defendendo a música “Ponteio”.
Na década de 1970, participou da banda Som Imaginário com Wagner Tiso, Robertinho Silva, Tavito, Luís Alves e Laudir de Oliveira, tocando ao vivo com Milton Nascimento e participado do LP de estreia da banda.
Zé Rodrix na flauta e teclados
Desligando-se da banda em 1971, venceu o Festival da Canção de Juiz de Fora, junto a Tavito, com a canção “Casa no campo”, uma de suas composições mais famosas, que se tornaria um grande sucesso na voz de Elis Regina, e cujo trecho da letra  batizou o estilo de música conhecido como Rock Rural, com influências regionalistas, tropicalistas, folk, country e rock, tocada pelo trio do qual faria parte logo em seguida, com Sá & Guarabira.
A letra da música Uma “Casa no Campo” foi  feita num ônibus entre Brasilia e Goiânia, e foi musicada assim  que chegaram no hotel.
Nessa época, compôs músicas como “Mestre Jonas”, “O Pó da Estrada” “Os Anos 60”,  “Pendurado no Vapor” e  “Primeira Canção da Estrada” sempre com seus parceiros Sá e Guarabira.
Mestre Jonas- foi das canções com inspiração n Bíblia ressaltando o lado Jonas moderno que todos nós possuímos.
 
Soy Latino Americano- Uma “guajira” cubana tipica ( três acordes que vão e vem ) e uma intenção crítica. Revelar os defeitos de carater do brasileiro da época. Estranhamente, todos os consideram qualidades, e este foi o motivo do sucesso da música. A identidade entre o personagem e quem se encontrou retratado por ele.
Zé Rodrix saiu do trio em 1973, para seguir em carreira solo e participações especiais em gravações de artistas diversos, como Secos & Molhados. Na década de 80 passou a se dedicar mais na área de publicidade que musical , mas em 1983, o músico passou a integrar o grupo Joelho de Porco, com o qual gravou o LP e participou do Festival dos Festivais em 1985, ganhando o prêmio de melhor letra pela música “A Última Voz do Brasil”.
Entre 1989 e 1996 assinou a direção musical dos espetáculos “Não fuja da Raia” e “Nas Raias da loucura”, de Sílvio de Abreu, e do programa “Não fuja da Raia” (Rede Globo), estrelado por Cláudia Raia.
Sua vida profana e artística continuava. Em 1994 foi contemplado com o prêmio Kikito, no Festival de Cinema de Brasília, pela trilha sonora do filme “Batman e Robin”.
Em 1991 foi iniciado na Augusta e Respeitável Loja Simbólica “Apóstolos do Templo” nº 241, Oriente de São Paulo,  onde foi Aprendiz Maçom, elevado a Companheiro Maçom um ano depois. Foi exaltado a Mestre Maçom pelos seus altos conhecimentos adquiridos sobre a Ordem. Pertenceu à Comissão de Comunicação na gestão do Grão Mestre Salim Zugaib. No ano 2000 foi instalado como Venerável Mestre de sua Loja.