Jair Bolsonaro voltou a negar que as queimadas no Pantanal e na Amazônia sejam da dimensão que vem sendo divulgada no Brasil e no mundo. Ele disse: “pega fogo, né? O índio taca fogo, o caboclo… Tem a geração espontânea. Lá na Amazônia, no Pantanal, a temperatura média é 43 graus”

Bolsonaro voltou a minimizar a quantidade gigantesca de incêndios que destroem Pantanal, Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica. Ele justificou o “fenômeno” falseando dados do ano passado: “ano passado, quase não pegou fogo, sobrou uma massa enorme de vegetais bons para isso que está acontecendo agora
A reportagem do portal Uol destaca que “Jair Bolsonaro (sem partido) falou que existem “críticas desproporcionais” ao conversar com apoiadores sobre as queimadas no Pantanal e na Amazônia. Assim como fez no ano passado, o mandatário citou como exemplos os incêndios florestais em outros países e regiões. “(Existem) críticas desproporcionais à Amazônia e ao Pantanal. A Califórnia está ardendo em fogo, a África tem mais foco que o Brasil“, comparou ao chegar no Palácio da Alvorada hoje.”
A matéria ainda informa: “sobre a causa dos incêndios, o presidente repetiu o argumento já utilizado de que o fogo é gerado, principalmente, por causas naturais. “Pega fogo, né? O índio taca fogo, o caboclo, tem a geração espontânea. Lá na Amazônia, no Pantanal, a temperatura média é 43 graus. Ano passado, quase não pegou fogo, sobrou uma massa enorme de vegetais bons para isso que está acontecendo agora”, afirmou o presidente na conversa com apoiadores.”