“Quero ser vacinado”, disse Major Olímpio dois meses antes de ser diagnosticado com Covid

Senador, que faleceu nesta quinta-feira (18) em decorrência da doença, chegou a participar de ato contra o lockdown, mas vinha sustentando uma postura crítica ao “negacionismo criminoso” de Bolsonaro

O senador Major Olimpio (PSL-SP), que teve sua morte cerebral nesta quinta-feira (18) por complicações da Covid-19, publicou um vídeo defendendo a vacinação em massa, dois meses de ser diagnosticado com a doença.

Não se trata de defesa de ideologia, partido político ou preferência pessoal. O único caminho para combater o coronavírus é a vacinação da população. Vidas brasileiras importam. Quero ser vacinado. Participe, apoie e multiplique”, disse Olímpio em vídeo gravado no dia 4 de janeiro, antes do início da vacinação no Brasil, que começaria semanas depois.

Assista:

Ligado à Polícia Militar paulista, Major Olimpio se encontrava internado em estado grave com covid-19. No último dia 2, ele informou ter sido diagnosticado. Estava desde o dia 5 na UTI do Hospital São Camilo, em São Paulo. Tinha 58 anos. É o terceiro senador que morre em consequência da covid. Antes dele, José Maranhão (MDB-PB), também ex-governador, em fevereiro, e Arolde de Oliveira (PSD-RJ), em outubro.
Nos últimos meses, o senador fez várias declarações a favor da vacinação como única forma de acabar com a doença”, lembrou a Agência Senado. Por outro lado, ele chegou a participar de ato, com aglomeração, contra o lockdown. Era casado e tinha filhos. A família pretende doar os órgãos. Líder do seu partido no Senado, Major Olímpio era considerado um ex-apoiador de Jair Bolsonaro.

Inscreva-se na TV 247, seja membro, e compartilhe: