“A gente faz uma reunião supersecreta e no dia seguinte tá tudo na capa da imprensa comunista, mas o importante é que a política mudou: comigo, primeiro faz, só depois recebe”

O Onyx teve uma reunião com um monte de deputados na casa do Rodrigo Maia. E prometeu 40 milhões para quem votar a favor da reforma da Previdência.
Estavam lá chefões do DEM, do PP, do PSD, do PR, do PRB e do Solidariedade. Tudo boa gente.
O Rodrigo Maia tinha dito que eu devia dar um “segundo passo” para aprovar a reforma. Pronto. Está dado. É isso que aqui em Brasília chamam de “negociação política”.
De quebra, o Rodrigo ainda vai indicar o embaixador em Roma, aquele amigo dele, o Hélio Ramos.
Vão dizer que eu menti, porque tinha prometido acabar com o “toma lá, dá cá”. Mas agora é diferente. É “dá cá, toma lá”. Porque primeiro vota e depois é que recebe.
Eu fico assustado é com o aumento do preço da coisa. O Mensalão era 30 mil por mês. Agora vai dar 900 mil. Trinta vezes mais. A inflação em Brasília não é brincadeira, não.
Falando em Mensalão, o pessoal maldoso já está dando uns nomes para a minha “negociação política”. Uns chamam de Bolsa Famiglia, querendo dizer que é tudo uma máfia. Outros dizem que é o Bolsolão. Gostei mais desse último.
O chato é que a gente faz uma reunião supersecreta e no dia seguinte está na capa da Folha Comunista de S.Paulo. Com um monte de deputado confirmando a história em off! Pô, cadê a integridade desse pessoal?
Na Câmara teve até um empurra-empurra por causa da reportagem. E o Rodrigo Maia foi perguntado se era verdade e ficou caladão. Pô, Rodrigo, é que nem quando a gente trai a mulher: tem que negar até o fim!
No fim, até que foi bom sair no jornal. Assim todo o Congresso ficou sabendo e já vão começar a ligar para o Onyx, dizendo que sem a reforma o Brasil para.
Estou tão otimista que até fiz uma musiquinha. Peguei aquela “Pra frente, Brasil” e troquei umas palavras. Ficou assim:
Quarenta milhões em ação, 
pra frente, Brasil, do meu Rodrigão. 
Todos juntos vamos tungar o Brasil,
Viva o molha-mão!
De repente é aquela conta corrente,
Quem é que não quer mais um milhão? 
Todos ligados na corrupção. 
Eu tô de volta, sou o Centrão! 
Todos juntos vamos tungar o Brasil, Brasil! 
Salve o Bolsolão!

por José Roberto Torero