👤 As incertezas sobre a imunidade coletiva

Diante da falta de consenso sobre o tema, especialistas alertam que medidas de proteção contra a Covid-19 precisam ser mantidas.

📉 A análise da queda do PIB e sobre quem ganhou e perdeu com esse cenário feita pelo economista Eduardo Moreira


🗳️ Eleições

Candidaturas coletivas crescem e consolidam um novo jeito de fazer política.

⚫ ⚪ O apagamento da história preta em favor da branca não se limita aos EUA

Em meio à violenta polarização no cenário político dos Estados Unidos, um fato com que muitas pessoas concordam é que monumentos fazem parte da história.
Derrubar moldes de bronze de homens brancos mortos não apagará a escravidão e a guerra do passado. Mas pode ser um passo em direção à abrir espaço para as histórias que esses homens lutaram para apagar — não apenas nos EUA, mas em todos os lugares que abrigam a diáspora africana.

📰 Símbolo da Lava Jato, Deltan Dallagnol deixa a força-tarefa em meio a dúvidas sobre o futuro da operação

Procurador era o coordenador do grupo desde seu início, em 2014, e deixou as investigações para cuidar de “questões de saúde em sua família.

🇨🇴 Os governos da Colômbia e dos Estados Unidos lançaram o ‘Plano Colômbia Cresce‘, uma parceria militar firmada com a desculpa de combater o narcotráfico e os grupos armados insurgentes no país.

Os dois países já firmaram no passado um Plano Colômbia que tinha o mesmo objetivo…


📄 A “nova” violência na Colômbia

Os dados divulgados por organizações colombianas apontam para a seguinte situação: além de assassinatos individuais, ocorreram uma série de massacres de grupos sociais em várias regiões do país.
Em 2019 foram 36 massacres e, em 2020, até o mês de agosto, foram 45. Desde 2018 se contabilizam 1.074 vítimas fatais dos massacres, sendo que 211 eram ex-combatentes das Farc, além de vinte familiares.
As vítimas se distribuíam de acordo com as seguintes características: 342 eram camponeses, 250 indígenas, 71 afrodescendentes, 131 mulheres, 13 LGBTQI+, 58 sindicalistas, 6 ambientalistas, 79 agentes comunitários e 124 participantes de diferentes movimentos cívicos.
A maioria dos massacrados desenvolviam atividades políticas e sociais e muitos atuavam na substituição dos cultivos de coca por outras culturas, um programa que no seu auge buscou atender a, aproximadamente, cem mil famílias e que foi abandonado pelo atual governo que voltou a atuar com fumigação de glifosato para erradicar as plantações ilícitas.

🇨🇱 Partido Comunista lidera no Chile pela 1ª vez desde Salvador Allende


🎧 Flutuando…