[su_heading size=”25″ align=”left” margin=”10″]Não existe bode na Maçonaria![/su_heading]
A associação do bode com a Maçonaria, na realidade, começa com uma grande farsa perpetrada em dois atos teatrais, ambos tendo como pano de fundo a afirmação de que os Maçons cultuam Baphomet, o diabo em forma de bode.
O primeiro ato inicia-se com a tese de que uma das origens ou fontes de inspiração da Maçonaria foi a Ordem dos Templários, parcialmente confirmada nos Altos Graus, com os chamados Graus Templários.
Os Templários eram uma ordem militar religiosa fundada em 1118, com a finalidade de proteger o Reino Cristão de Jerusalém e escoltar os peregrinos cristãos que iam a Terra Santa. Os membros seguiam a regra de São Benedito e faziam os votos de pobreza, castidade e obediência. Durante os séculos XII e XIII seus ideais religiosos e militares tornaram a Ordem muito popular.
Para financiar seus objetivos, passaram a receber donativos e dotações e, não obstante suas despesas com a participação nas Cruzadas e com a construção e manutenção de inúmeras fortalezas fossem de grande monta, por serem excelentes administradores, fiéis e organizados depositários, tornaram-se muito poderosos e banqueiros de papas, reis e particulares.
Em 1307, o Rei Felipe o Belo, de França, totalmente falido, resolveu apoderar-se dos bens da Ordem, prendendo os Templários sob a acusação de devassidão e idolatria e entregando-os à Inquisição que, sob tortura, obteve declarações de culpabilidade e queimou vivos, em 1314, os altos dignitários da Ordem, inclusive seu Grão-Mestre Jacques de Molay.
Entre as inverídicas acusações contra os Templários, pesava a adoração a Baphomet, pretenso ídolo associado ao nome de Maomé, representado por uma figura humana com atributos dos dois sexos e com cabeça de carneiro ou bode.

Continua…


Excerto do livro Maçonaria para Maçons, Simpatizantes, Curiosos e Detratores do Irm.’. Almir Sant’Anna CruzQuem quiser adquirir o livro pode tratar pelo whatsapp 21 99568-1350


Para entender melhor, leia também:

EXISTE BODE NA MAÇONARIA? Parte 1

O BODE NA MAÇONARIA, NA TRADIÇÃO CRISTÃ, NOS ORIXÁS E NA MITOLOGIA – Parte 2