Desde a iniciação o maçom aprende sobre seus deveres, muito antes de saber quais os seus direitos.
Já antes do início da cerimônia, o candidato responde a um questionário onde encontra perguntas como: “Quais são seus deveres para com a família?” e “Quais são seus deveres para com o próximo?” E assim o iniciando vai sendo informado de seus deveres como maçom, como pai e patriota.
Sentindo-se assim não obrigado a cumprir seu dever, mas fazendo tudo com prazer, mudando suas paixões e sua natureza.
O dever é a ação conforme a uma ordem racional ou a uma norma.
A doutrina do dever é, como se vê, originariamente própria de  uma  ética  fundada  na  norma  do  “viver  segundo  a natureza”, que  é,  de  resto,  a  norma  de  conformar-se  à  ordem racional  de  um  todo.
Dever é para Kant a ação cumprida unicamente em vista da lei e por respeito à lei.
O dever é a única ação racional autêntica.
É a ação conforme a lei, mas não feito por respeito da lei.
Na ética contemporânea a doutrina do dever continua a vincular-se com a de uma ordem racional necessária, ou de uma norma (ou conjunto de normas) apta a dirigir o comportamento humano.
Para Bergson, o dever não é mais do que um hábito de comportamento dos membros de um grupo social.
É essencial que os maçons estejam atentos ao problema da ética da sociedade contemporânea, tão desmobilizada sócio politicamente quanto imediatista em sua vontade de consumir ou de fazer progressos materiais.
Por trás de um “só cumpri meu dever” pode estar um “fiz por interesse”, ou “pague-me melhor”.
Daí umas cem frases feitas, que surgiram para ironizar ou reduzir a piada do conceito de dever como a de Alexandre Dumas: “O dever é o que se exige dos outros”.
Entretanto, na ética maçônica constante de todos os seus manuais, encontram-se belos exemplos de quão sublime e simples é para o maçom o cumprimento dos seus deveres.
É fácil compreender os postulados maçônicos existentes em seus princípios fundamentais do amor fraternal (amor a Deus, à pátria, à família e ao próximo) com tolerância, virtude e sabedoria, para a busca da verdade, sob a luz dos conceitos de liberdade, igualdade e fraternidade, com a finalidade essencial de levar ao mundo a felicidade geral e a paz universal.
Porém, tais qualidades que são dever de um maçom, devem ser obrigações morais fundamentais, porque preocupada com o progresso, assiste à maçonaria o direito de exigir de seus adeptos o cumprimento de sérios deveres, sendo considerado traidor quem vai contra.
É razão mais que suficiente para se refletir sobre a ideia e o conceito do dever: O alicerce da Maçonaria.

Celso Sichieri M.’.M.’.