Crise do coronavírus e isolamento fazem Bolsonaro chorar em reunião no Planalto (Por Ivan Longo)

[su_pullquote]Presidente tem caído cada vez mais em descrédito, não só na opinião pública, mas também entre seus pares, por sua postura negligente diante da pandemia do coronavírus[/su_pullquote]
[su_pullquote align=”right”]O presidente Jair Bolsonaro estaria fragilizado emocionalmente diante das críticas que tem recebido por conta de sua postura negligente com a pandemia do coronavírus.[/su_pullquote]
De acordo com reportagem de Igor Gielow, da Folha de S. Paulo, o presidente chegou a chorar em uma reunião com interlocutores no Palácio do Planalto.
Defensor do fim do isolamento social, o que confronta as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e de especialistas sobre a contenção da pandemia, Bolsonaro tem sido alvo de panelaços diários há pelo menos 15 dias e de intensas críticas de governadores, como João Doria (PSDB) e Wilson Witzel (PSC). O capitão também tem encontrado resistência em sua própria equipe, como por parte do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que chegou a orientar o governador do Acre a não seguir as recomendações do presidente.
Na Câmara dos Deputados, Bolsonaro é alvo de três pedidos diferentes de impeachment. Um deles, protocolado pelo PSOL, já ganhou o apoio de 1 milhão de brasileiros através de um abaixo-assinado.

Reprodução/SBT
O que é possível dizer a esta altura é que há preocupação com o risco de instabilidade social devido aos impactos econômicos da pandemia, além daquilo que já era identificado como o perigo de os militares serem usados na disputa entre o presidente e os estados. Associado a tudo isso, existe o temor de que a beligerância de Bolsonaro leve a crise a outro patamar, já que ele não conta mais nem com apoio no Congresso, nem com a boa vontade do Supremo desde que apoiou ato pedindo o fechamento das instituições”, diz um trecho da reportagem da Folha que narra a suposta fragilidade emocional do presidente.
Para a noite desta terça-feira (31), às 20h30, Bolsonaro marcou um novo pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão. Especula-se que o presidente seguirá pregando o fim do isolamento social e que volte até mesmo a fazer elogios à ditadura militar.