Jorge González Sebá morreu na última quarta-feira (25/3), mas deixou áudios denunciando profissionais de não chegarem perto dele por medo

Capitão reformado do Exército e cônsul honorário do Suriname no Rio de Janeiro, Jorge José González Sebá morreu na última quarta-feira (25/3), com sintomas de coronavírus. Antes de morrer, ele deixou áudios acusando o hospital Rio Mar de abandoná-lo por receio de contaminação.
Jorge Sebá tinha 60 anos, era diabético e foi internado, em 21 de março, com febre e falta de ar. O hospital confirmou a morte dele por suspeita de Covid-19, mas afirmou que o paciente recebeu “todo o atendimento possível”. As informações são do portal Extra.
Em uma das gravações feitas pelo cônsul na UTI, ele disse que os profissionais de saúde evitam se aproximar dele. [su_quote]Me deixaram aqui sem informação, isolado, como se fosse um bicho. Eu me esgoelo, eu grito, eu chamo as pessoas, ninguém atende. Tenho dificuldade até para urinar”, disse.[/su_quote]

A família avalia processar o hospital por negligência e omissão de socorro.

Fonte: DA REDAÇÃO


Jorge Sebá era Maçom e atualmente era o Venerável Mestre da Loja Maçônica “Amizade Fraternal” n. 10, do GOB-RJ.

Veja abaixo a Nota emitida pelo Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil – GOB

[su_heading size=”20″ align=”center” margin=”10″]Nota de Pesar[/su_heading]

É com extremo pesar que o Grande Oriente do Brasil, comunica o falecimento do Irmão Jorge González, Venerável Mestre da Loja Amizade Fraternal n° 10 – GOB-RJ.
Lamentamos intensamente, o passamento ao Oriente Eterno, do nosso agora Saudoso irmão Jorge.
E neste momento de perda e dor, transmitimos os nossos sentimentos de pesar, aos familiares e amigos, deste que foi um exemplo de irmão, cidadão e trabalhador incansável da Arte Real.
Fraternalmente
Múcio Bonifácio Guimarães
Grão-Mestre Geral

[su_divider top=”no” style=”dashed” divider_color=”#b71717″ size=”5″]

OUÇA O ÁUDIO CONSEGUIDO PELO NOSSO SITE, QUE O IRMÃO JORGE GRAVOU ANTES DE FALECER:

Tive que implorar um dia inteiro por um copo d’água

Jorge José Gonzáles Sebá. Foto: Álbum de família