[su_heading size=”20″ align=”left” margin=”30″]A situação na Maçonaria brasileira reflete bem o estágio atual da sociedade.[/su_heading]

Dissensão, egocentrismo, estrelismo, falta de empatia e interesses individuais sobrepondo-se ao coletivo.
E veja que a Maçonaria prima pela harmonia entre seus obreiros.
O Rito de York americano foi um dos segmentos que mais cresceu no Brasil nos últimos 10 (dez) anos. Evidente que um crescimento desse porte, envolve questões administrativas e financeiras que certamente provocam desentendimentos entre os que participam desse bolo.
Um membro da Comandaria dos Cavaleiros Templários do Brasil (graus superiores do Rito de York) relatou que o Oficial Maior no país, o Sir Cavaleiro Paulo Roberto Curi, em Circular a todos os membros da Cavalaria tornou público o que vem acontecendo, em resposta a um irmão que pediu para se afastar do corpo maçônico.
Veja alguns trechos da missiva:
Prezado Companheiro,
Aproveitando seu pequeno e-mail, CERTO e JUSTO, entendo que você pode decidir sim.
Amigo, buscar o correto não é mais que a obrigação do ser humano.
Infelizmente no Brasil, vale o que não é correto.
Fico feliz que você não esteja nesta relação, embora para uma carta de demissão, sejam necessárias duas ou três linhas.
A situação de Supervisores e Superintendentes é para ajudar, como disse bem, a Alta Administração.
Caso você tenha notado, e tenho certeza que sim, em nenhum momento me pronunciei nos e-mails, whatsapp, etc. Falaram por mim.
———

No trecho seguinte, o Oficial Executivo do Rito de York no Brasil, o Cavaleiro Paulo Curi, explicita que está acontecendo uma “guerra” e até revela sua estratégia, inclusive citando o presidente Bolsonaro como vítima, Vejamos:

“Aprendi na guerra que uma das artes, e não foi lendo SUNTZU, era deixar o inimigo gastar sua munição e depois, sim…
Caso estejam aproveitando desta situação, isso é algum vício nacional. Veja como fazem com o nosso Presidente da República.”
———-

A questão belicosa parece dizer respeito também a questões financeiras envolvendo a alta administração do Rito:

“Os Irmãos que questionaram sobre o fato de terem pago ao Supremo, e que este dinheiro não chegou ao Internacional, além de ser uma situação delicada é perigosa, pois foi colocado em rede social, nomes de Irmãos que deixaram de pagar e foram prejudicados.
Esta relação feita em três vias foi entregue no Brasil ao Grande Comandante Americano, ao Cavaleiro que se intitula adjunto e conosco na Grande Secretaria.
Não tinha ideia que na sua carta de demissão, você estava tão preocupado com isto.
Posso lhe afiançar que os prejudicados dizem que cabe uma ação judicial. Quem entregou esta relação ao público?
Afinal foram $ 21.500, mais os Remidos que entregamos agora (6/2) através do Ted Harrison, que será nosso portador, porque não consideram Remidos nos USA. Fato este que nunca fomos informados.
Esta acusação não é muito prejudicial ao nosso Rito. Ela irá, sim, render frutos judiciais.
Temos gente trabalhando pelo Supremo desde 1993, (eram chamados de “meia dúzia de gatos pingados”) e que isto nunca iria à frente com eles!

—————–

A confusão atinge todos os segmentos do Rito. Em sua missiva, o KT (Cavaleiro Templário) Roberto Curi refere-se à Sociedade Rosacrussiana dizendo que a mesma no Brasil estava irregular.

Já que você falou em CERTO e JUSTO, por acaso tinha conhecimento que o Grande Mago estava em Vitória e quando soube que foi realizada uma cerimônia da Rosacrussiana, disse que as cartas do Brasil foram anuladas, e que já havia entregado ao Companheiro Alexander Mazolli a responsabilidade da mesma? Por sinal, ele está trazendo-a novamente para o nosso Segmento.”

Ele também faz revelação, embora de forma enigmática, sobre a Ordem Maçônica Aliada:

Agora quem está preocupado sou eu com a AMD” (Allied Masonic Degrees (Graus Maçônicos Aliados))

————

Queixa-se de ingratidão e assume erro na escolha de seus auxiliares:

Este momento conturbado foi provocado por mim, pois quando rompi a tradição que era escolher um Companheiro do GOB, um das Grandes Lojas e um da COMAB, nos três Segmentos, resolvi tomar a decisão sozinho de escolher o Grande Ilustre Mestre que como disse na última Circular, o tinha como filho.
Mas, sei que você estava presente quando fui inquerido pelo jovem Sênior DeMolay Pedro Renato, que perguntou quando haveria eleições na Alta Administração. Respondi em alto e bom som, que por enquanto a Administração que escolhia, ou melhor, eu escolheria os membros e contra a vontade da maioria o escolhi.
Aproveitando uma tal circular que consta o meu nome, chamada Proposta de Terceira Via, existe um item que diz:
•“Que, pelos estatutos dos três Grandes Corpos, seja garantido que um membro de tríade diretora de um Grande Corpo está impedido de compor a tríade de outra.”
Foi a única coisa inteligente que li.

————

O Oficial Executivo termina o comunicado exigindo a renúncia de um alto dirigente dos Graus Crípticos (outro segmento do Rito de York), que também está envolvido na celeuma:

Aproveitando a oportunidade que o Irmão Allan me proporcionou, aproveito para solicitar ao atual Grande Ilustre Mestre que renuncie a dois cargos dos três que ocupa, até porque só agora constatei que entre outras de suas “qualidades”, não ser ele Mestre Instalado.
Como Homem, Militar e Maçom, mentiu.
PS. Em tempo, desde 2001, quando deixamos de entregar material?

——————-

Vê-se então que a UNIÃO, ponto alto da Sublime Ordem, está tristemente abalada. Pelo menos no Rito de York Americano instalado no Brasil.